Resenha [06] Dias perfeitos // Raphael Montes

Título: Dias Perfeitos
Autor: Raphael Montes
Editora: Cia das Letras
Número de Páginas: 280
Ano de Publicação: 2014
Skoob: Adicione

“Não queria parecer doente ou maníaco. Com o tempo, ele ia provar a Clarice que ela estava errada. Jamais seria capaz de cometer abusos: faltava-lhe o instinto animal que os homens ganham ao nascer. Essa era apenas uma de suas qualidades. Se houvesse mais gente como ele, o mundo seria melhor.”



Eu terminei de ler este livro meio chocada com tudo que li nestes 4 dias de leitura.

É uma história de amor obsessivo, onde Téo, um jovem sociopata se apaixona por Clarice, uma garota com espírito livre e que carrega o sonho de ser uma roteirista.

Téo nunca foi lá muito apegado as emoções, sua única amiga era Gertrudes, uma defunta doada a sua universidade para estudos que nunca lhe importunava, questionava, sequer falava com ele (imaginem o porquê rsrs). 

Quando Téo se descobre "apaixonado" por Clarice, a mocinha desgarrada que conheceu em um churrasco que sua mãe o obrigou a comparecer, ele acredita que tem que ser correspondido a qualquer custo. E quando digo a qualquer custo, imagine as mais loucas e psicóticas formas de "prova de amor". 
Obviamente para Clarice Téo é só um cara um tanto quanto diferente que ela conheceu no evento, deu um beijo apressado e que nunca mais o veria. Pobre Clarice.
Téo em sua paixão desenfreada começa a perseguir a moça de longe, até que se aproxima o bastante para saber que não é correspondido, o que para ele é só uma questão de tempo para reverter este quadro. 
Téo tem a brilhante ideia de fazer uma viagem/sequestro com Clarice para que ela o conheça melhor, e nós leitores também. E ai meu caro leitor, haja estômago.

Eu abominei o personagem, mas ao mesmo tempo queria tanto entender por qual motivo ele agia da forma que agia que me peguei devorando o livro. Vocês não fazem ideia das loucuras que se passam na cabeça do personagem e do quão é normal para ele.
Eu li tudo muito rápido, a leitura é alucinante, o autor nos presenteia com uma riqueza de detalhes que perturba qualquer cabeça. A lógica do personagem para justificar suas ações são indescritíveis.
Você começa a viajar e criar nuances para que a história se reafirme, tenta enxergar vilãs onde não tem, mocinhos onde não existe, juro, criei tanto desfecho para história e não passei nem perto.

Duas coisas não me agradaram no livro, primeiro algumas situações que fogem muito da realidade e segundo o final um tanto quanto corrido, personagens apáticos diante dos acontecimentos óbvios, enfim o livro é muito bom mas para mim deixou a desejar em alguns poucos aspectos!
Mas isto é um ponto de vista meu, há quem achou o final excepcional. No mínimo inimaginável foi!

Este é o terceiro livro que leio do autor e quero muito ler o único que falta, o Suicidas, que também é muito bem falado pela crítica em geral e foi relançado pela editora, pretendo adquirir o meu na bienal. E adivinem que "estou" torcendo para encontrar Montes na bienal?

Raphael Montes já entrou para meu hall de autores favoritos sem dúvida, escreve um de meus gêneros literários favorito da vida e ainda é nacional! =)

Nenhum comentário:

Postar um comentário