Resenha [08] Luna Lina A Menina Que Semeava Ecos // Julio Carlos Alves


Título: Luna Lina - A menina Que Semeava Ecos
Autor: Julio Carlos Alves
Editora: Pontes
Número de Páginas: 246
Ano de Publicação: 2015
Skoob: Adicione


“O presente está dentro de uma caixa pequena, guardado dentro de
uma enorme caixa”


Preciso confessar que este livro me surpreendeu, não seria um livro que escolheria logo de cara para comprar, mas fiquei encantada com a ambientação em que se passa o livro e também com a maneira filosófica em que o autor desenrolou a história, sem falar no mistério desvendado logo no final inimaginável.

Sentado à beira de uma seringueira na praça de sua cidade com sua filha Emília, Dílio encontra uma caixinha parecida com um porta joias bem lacrada e leva para casa para saciar sua curiosidade e de sua filha para saber o que há lá dentro.

Dílio logo descobre que o conteúdo da caixa era um saquinho de veludo que continha uma semente e um bloquinho bem pequeno com alguns relevos parecendo braile, curioso em saber o que aquilo significava Dílio buscou ajuda com alguns velhos conhecidos e colegas de trabalho para desvendar o que tudo aquilo significava.


 “Já se passaram quatro dias desde que eles partiram. Quando é preciso esperar dá a impressão que o tempo não avança como de costume.”

Para sua surpresa e aguçando mais ainda a sua curiosidade o pequeno bloco se tratava de um diário muito bem escrito por uma garota chamada Luna Lina, amante dos livros e aspirante a jornalista. Dílio resolveu se dedicar exclusivamente a leitura do diário da Luna, um diário onde a menina Luna contava toda sua história.

Através do diário da Luna somos levados a uma fascinante história ambientada no final do século XIX e começo do século XX época dos imigrantes Italianos e daquelas fazendas enormes de café (fiquei viajando nas paisagens descritas pelo autor, o casarão onde Luna vivia, apaixonei pela ambientação da história) Luna nos conta seus maiores desafios, sua relação com as pessoas e a natureza. A forma humana como ela lida com tudo e todos a sua volta é enriquecedora.



“ Uma pena, em pleno século XX, esse senhor acredita que seu sangue é diferente do Sebastião, apenas porque possui posses. Pura ignorância, um boçal, ele precisa aprender mais com os livros.”

Durante a leitura deste livro senti muita falta de algo para me apegar para continuar com aquela vontade de não soltar o livro sabe? Não sei o que faltou, mas não consegui me apegar aos personagens e nem ao mistério que envolve a trama, só mais no final que consegui desenvolver melhor a leitura.

Gostei também da figura da mulher se destacando naquela época, Luna conseguiu uma posição importante logo na sua mocidade em uma época onde as mulheres não eram tão ouvidas assim.

O final do livro foi uma surpresa, que imaginação do autor, gosto de ser surpreendida assim, e foi uma resposta para tudo que estava acontecendo até então no livro e eu me perguntava, mas como chegou a este ponto? Que parte da história eu perdi?

Uma leitura bem filosófica com uma ambientação fascinante.


Nenhum comentário:

Postar um comentário